Portugal

O que visitar em Viana do Castelo?

Responder a esta questão é sempre um grande desafio para quem cá vive, sempre tão desatentos que andamos ao que nos rodeia, na azáfama dos dias. Porém, 10 anos depois de me ter instalado por cá, já reuni os meus favoritos e posso atestar que tudo melhorou e a cidade é mais dinâmica e bonita a cada dia e são cada vez mais os turistas que o comprovam.

Muito mais que Romaria

Conhecida pela Romaria da Senhora da Agonia que atrai milhares ao Alto Minho, Viana é muito mais do que as festas e merece visita em qualquer altura do ano. A verdade é que o programa da festa é sempre rico e diversificado e promove tradições, traje e património, eu gosto de destacar particularmente os coloridos tapetes de sal, que a comunidade ribeirinha elabora durante a noite para a Santa Padroeira dos pescadores passar no dia seguinte, no trajeto da Procissão ao Mar, outro dos momentos únicos da festa. Imperdível para quem gosta de tradição religiosa e sugestão única de programa para a semana de 20 de Agosto.

Mas há muito mais a explorar na cidade de Viana do Castelo.

Praias Fantásticas

Viana do Castelo oferece deslumbrantes praias e apesar da água fria vale a pena conhecer a sua rara beleza natural, praticamente selvagens, limpas e de uma tranquilidade incrível.  Em dias de muito vento, a praia do forte do Paço, conhecida pelos locais como Praia dos Ingleses, é mesmo a melhor escolha, mas a minha praia de eleição é a Praia do Cabedelo, pelas dunas e pinhal encaminham o percurso, pelas águas calmas, extenso areal e ambiente cosmopolita atraído pela vasta oferta de desportos náuticos, por ali pode praticar e frequentar aulas de bodyboard, surf, kitesurf, windsurf e conhecer os projetos ligados ao surf adaptado, que já renderam uma medalha de ouro para a cidade, com a conquista por Marta Paço, atleta cega, do título de campeã europeia, em 2019. Agora pode ainda praticar wakeboard e wakeSurf, no recém-inaugurado Wake Park.

Subir ao monte de Santa Luzia

O verdadeiro ex-libris de Viana é a imponente Basílica do Sagrado Coração no topo do monte de Santa Luzia, com soberbas vistas sobre a região, mais impressionantes ainda para quem sobe ao zimbório, hoje em dia com acesso por elevador. Para um passeio mais completo, deixo o desafio de subir o escadório de 659 degraus até ao topo do monte, recuperar o fôlego na Basílica, passear no jardim das Tílias e descer pelo Funicular. Devo confessar que apesar da beleza da Basílica, o meu lugar preferido é a Capela da Adoração e Reconciliação, que pela sua simplicidade e energia faz lembrar um espaço ecuménico e como recebe poucas visitas, convida mesmo à meditação. Um chá na Pousada de Santa Luzia pode ser também uma experiência peculiar, pois o espaço é encantador. 

Farol de Montedor

Eu que sou grande fã de luz e faróis, não podia deixar de sugerir a visita ao bonito Farol de Montedor, que se encontra em funcionamento desde 1910 e que abre as suas portas ao público todas as quartas-feiras à tarde, proporcionando uma experiência única e vistas incríveis. A praia de Carreço ali ao lado e os moinhos de Montedor também merecem destaque.

Buliço do Portinho de Castelo do Neiva

Continuando na orla costeira, mas mais a sul, é bonito ver a chegada dos coloridos barcos ao Portinho de Castelo do Neiva, pela manhã depois de uma noite no mar, pois são uma comunidade piscatória ativa e que preserva valores, identidade e tradição. Ali perto recomendo a visita ao Núcleo Museológico do Sargaço e Arqueologia onde pode descobrir tudo sobre a apanha das algas, aqui chamadas de sargaço.

Tradição pascal

 Na quinta-feira de Páscoa, ao serão, se estiver por perto não pode perder as visitas às capelas da cidade, não tanto religiosidade do ato, já que o mar de gente não favorece o ambiente de oração, mas pela oportunidade de visitar capelas geralmente fechadas ao público devidamente engalanadas para as visitas. Não se esqueça que o número de visitas tem que ser ímpar, segundo reza a tradição.

Bolas de Berlim do Natário

Pode parecer estranha a referência, para quem, como eu, não come açúcar, mas há ícones que têm que ser referenciados e as filas a dar a volta ao quarteirão falam por si, são mesmo as melhores e colocam Viana na boca do mundo!

Navio Hospital Gil Eannes

Miúdos e graúdos vão apreciar certamente conhecer o navio Museu Gil Eannes, navio hospital que acompanhava a frota da pesca do bacalhau e que regressou à cidade onde foi construído e hoje atracado na doca junto ao Rio Lima, nos leva de viagem e nos conta um pouco da sua história.  

A biblioteca de Siza Vieira

A arquitetura moderna na cidade dava um artigo completo, mas quero destacar um dos meus locais favoritos, a bonita Biblioteca Municipal, junto ao rio Lima, obra de Siza Vieira, que conseguiu o enquadramento perfeito com o cenário natural e que torna mágica qualquer leitura por ali.

Os céus de Viana

Apesar da beleza incrível desta cidade, pelas ruas, paisagens verdejantes e praias selvagens, não deixe de contemplar os céus; continuam a surpreender-me as suas cores, a forma como as nuvens se alinham sobre o mar e sobretudo a sua imensidão, verdadeiras aguarelas de Deus, como gosto de lhes chamar. Vale a pena o pôr do sol junto ao mar, já para o nascer escolho a margem do rio, no jardim, junto à Ponte Eiffel, que inunda a cidade com uma luz indescritível.

Deixo a sugestão da visita à Princesa do Lima que me acolheu e que recomendo pelas suas paisagens, gentes, gastronomia e tradições que vão ficar certamente gravadas na memória e quem sabe também no coração, não fosse o slogan da cidade “Quem gosta vem, quem ama fica”.

Vânia Magalhães

Nasci em Guimarães, mas sou do mundo, as raízes não são muito profundas, vou onde os meus ramos me levarem.
Licenciada em direito, apaixonada pelos direitos humanos, cedo percebi que estes se praticam no dia-a-dia, no amor ao próximo, em atividades de voluntariado, a passar as mensagens certas com o nosso exemplo e atitude, mais do que em manifestações jurídicas.
Nos últimos anos vivi uma incrível revolução e descobertas interiores, com percurso na filosofia macrobiótica, através de formação no Instituto Macrobiótico de Portugal, coaching/mentoring e constelações sistémicas, meditação, saberes que agora tento combinar e passar como inspirações.
Sou apaixonada por viagens, gosto de escrever, gosto de cozinhar e preconizo uma vida simples dentro da complexidade que me habita.
Cuido do meu corpo, porque também ele me guia.

Similar Posts